Esporte é vida!

Foto: Andrea Piacquadio (Pexels)

Indiscutivelmente, a prática regular de atividades físicas e esportivas (AFEs) tem relação direta com o bem-estar físico, mental e socioemocional dos indivíduos. Todo país sério apresenta consolidadas políticas sociais de promoção de AFEs, afinal de contas, ESPORTE É VIDA!

Mas o que estamos querendo dizer quando afirmamos, com todo o ar que existe nos nossos pulmões, que esporte é vida? Que quem pratica atividades físicas e esportivas ganha em saúde física e mental, qualidade de vida, sociabilidade, produtividade, rendimento educacional e aumento de atributos socioemocionais, como autoestima, autocontrole, comunicação e confiança.

Há algum tempo, o Instituto Esporte Mais desenvolve projetos de aprendizagem socioemocional através do esporte. Devido a pandemia de Covid-19, nossos olhares também se voltaram para as questões de saúde mental, assunto que abordamos na live “Esporte, atividade física e saúde mental”, ver aqui.

Nos últimos meses, a Organização Mundial de Saúde (OMS) vem nos alertando que entre os impactos imediatos da pandemia de Covid-19 está o aumento no número e na gravidade de doenças mentais. Estudos emergentes já mostram aumentos nos casos de depressão e ansiedade em vários países, incluindo o Brasil.

Depressão e ansiedade estão entre os transtornos psiquiátricos que podem levar ao suicídio. De acordo com a cartilha “Suicídio: informando para prevenir”, da Associação Brasileira de Psquiatria (ABP) e pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), existem dois motivos principais:

  • Tentativa prévia: Pessoas que já tentaram tirar a própria vida têm de cinco a seis vezes mais risco de tentar outra vez. A estimativa é que metade daqueles que se suicidaram já tinham tentado antes;
  • Doença mental: Quase todos os indivíduos que se mataram tinham algum transtorno mental, em muitos casos não diagnosticado, não tratado ou não tratado de forma adequada (os transtornos mais comuns incluem depressão, transtorno bipolar e transtorno de personalidade).

Setembro é um mês dedicado à prevenção do suicídio (#SetembroAmarelo). A discussão sobre esse assunto ainda é tabu. Para que mais pessoas estejam informadas e saibam como combater o suicídio, especialistas defendem mais investimentos e apoio da sociedade, por isso, e por entender a relevância do esporte na prevenção ao suicídio, é que nos juntamos aos inúmeros projetos sociais, campanhas e iniciativas de conscientização e prevenção a esse problema social complexo.

Como o Instituto Esporte Mais pretende contribuir com a conscientização e prevenção ao suicídio?

Desde 2015, o IEMais usa a abordagem do “Esporte para o Desenvolvimento” nos seus projetos e iniciativas, que se refere ao uso intencional dos esportes, atividades físicas, jogos e brincadeiras para desenvolver competências emocionais e sociais em crianças, jovens e mulheres e atingir objetivos específicos de desenvolvimento humano e social, incluindo, principalmente, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. Ao todo são 17 objetivos e 169 metas que se complementam e que estão associados a três dimensões do desenvolvimento sustentável: econômica, social e ambiental. O Instituto Esporte Mais contribui para a promoção de seis ODS, entre eles o ODS 3 – Saúde e bem-estar.

Através do esporte, os indivíduos podem adotar estilos de vida ativos que melhoram o bem-estar, a saúde e previnem doenças, em especial doenças crônicas não transmissíveis e os transtornos mentais.

Veja como as ações do IEMais contribuem à “saúde e bem-estar”:

  • Benefícios diretos ao bem-estar e qualidade de vida;
  • Promoção do autocuidado;
  • Melhoria da saúde mental e emocional;
  • Melhoria no funcionamento cognitivo;
  • Desenvolvimento positivo de crianças e adolescentes;
  • Aumento a conscientização em termos de “mensagens de saúde”.

Saiba mais sobre os projetos do Instituto Esporte Mais e doe para a nossa causa: http://esportemais.org/.


Fontes:

– ONU alerta para crise de saúde mental diante de pandemia (CNN).

– Suicídio: por que as pessoas põe fim à própria vida? #setembroamarelo (Alessandra Guimarães, jornalista e gestora de conteúdo).

– Relatório de Desenvolvimento Humano Nacional – Movimento é Vida: Atividades Físicas e Esportivas para Todas as Pessoas (PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento).

– Plano de Ação Global para a Atividade Física 2018-2030 (OMS – Organização Mundial da Saúde).

– Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (ONU – Organização das Nações Unias).

Categories:

Não é possível comentar esta notícia.